Saúde financeira das empresas estatais e privadas da China

22 fevereiro 2020

quebra-cabeça
Monthly House View de março de 2020 da Indosuez - faça o download de um trecho aqui

As reações do governo chinês ao mercado

Em 22/02/2020, o Banco Popular da China ofereceu 200 bilhões de yuans (29 bilhões de dólares) em empréstimos de um ano com uma taxa de juros 10 pontos base menor do que a oferta anterior; 3,15% é agora a mais baixa desde 2017. Anteriormente, Pequim já tinha dado o sinal verde para que governos provinciais emitissem mais 290 bilhões de yuans (42 bilhões de dólares) em títulos especiais, o que se soma ao total de 1 trilhão de yuans desse tipo de dívida que foi aprovado em novembro para impulsionar o gasto com infraestrutura em meio à desaceleração da economia, que deve sofrer mais um golpe com a epidemia do coronavírus (COVID-19).Títulos especiais são dívidas com recurso e possuem garantias de pagamento dos governos locais.

 

Temores de mais calotes do governo local e de empresas estatais

Por outro lado, maior endividamento no nível de governos locais pode aumentar a vulnerabilidade destes. O governo central deixa claro que não irá resgatar dívidas de governos locais, mas deixará que as forças do mercado lidem com reestruturações de dívidas para reduzir riscos morais, principalmente em estatais não estratégicas. Desde 2016, calotes de estatais representam apenas 6% do total de calotes de empresas chinas no mercado offshore ou 19% dos calotes corporativos chineses onshore e offshore. O mercado offshore de títulos chineses se trata dos títulos emitidos fora da China continental e que investidores chineses e estrangeiros podem investir e negociar facilmente, que é o nosso foco.

 

Verificação de saúde financeira de empreiteiras chineses avaliadas por agências de classificação

Títulos corporativos emitidos por empreiteiras chinesas representam cerca de metade de todos os títulos high yield chineses, mas taxas históricas de calotes de empreiteiras chinesas são, de fato, significativamente menores que dos setores de energia e da indústria graças ao aumento do valor de seus bancos de terras e sua habilidade de dispor de ativos no momento certo para sustentar a liquidez quando necessário.

 

Apoio regulatório para empreiteiras

Dada a considerável contribuição do mercado de propriedades ao PIB do país, direta e indireta (estimadas em torno de 7% e 20 a 25%, respectivamente), a Comissão Nacional para Reforma e Desenvolvimento (NDRC, na sigla em inglês) permitiu recentemente que empreiteiras com quota existente de emissão de títulos offshore estendam sua data de vencimento em seis meses para dar mais fôlego às empreiteiras em seus planos de emissão de títulos que enfrentam problemas devido ao surto do coronavírus (COVID-19). A assembleia recente do Politburo (Comitê Central do Partido Comunista Chinês) prometeu analisar mais medidas de alívio fiscal e manter a política monetária flexível para fornecer auxílio financeiro às regiões e aos setores privados mais afetados.

 

Impacto no setor de aviação da China

Outro setor que está exposto aos impactos gerados pelo coronavírus (COVID-19) é o das companhias aéreas do país. Dois terços dos passageiros de aviões da China não saíram do chão pois restrições de viagens e temores gerados pelo surto do vírus reduziram drasticamente o número de passageiros.

Embora as maiores companhias (Air China, China Eastern Airlines e China Southern Airlines) conseguirão navegar no ambiente agitado, companhias menores e mais endividadas estarão mais vulneráveis caso o vírus continue a se espalhar. Cidades e províncias chinesas possuem participações em cerca de 20 companhias aéreas regionais e espera-se que as autoridades irão socorrer companhias aéreas locais com injeções de caixa, renúncia de amortizações de empréstimos ou condições mais favoráveis de leasing de aeronaves, caso entrem em dificuldades. Entretanto, isso pode colocar mais pressão financeira em governos locais que já enfrentam dificuldades em desalavancar.

 

Conclusão

Acreditamos que a magnitude dos estímulos governamentais será acomodatícia para regiões e setores específicos e dependerá da amplitude dos transtornos. Evitar riscos morais e um grande aumento dos calotes permanece no topo da agenda de Pequim.

A normalização de alguns setores (propriedades, por exemplo) provavelmente acontecerá antes de outros (turismo, por exemplo). Além da China, países vizinhos como Tailândia, Coreia do Sul e Singapura, já responderam rapidamente com novos benefícios fiscais e apoios financeiros para empresas afetadas pelo surto para mitigar o efeito de transbordamento para as cadeias de suprimentos.

 

Monthly House View de 22.02.2020 da Indosuez, excerto do Focus

22 fevereiro 2020

Para ler também

compass

Rumo a uma mudança de regime? O que esperar após a pandemia?

plant | wind

Realidade de recuperação ou ilusão monetária? Mercados demasiado otimistas?

plant | wind

As maiores economias tentam relaxar as medidas de lockdown