Realidade de recuperação ou ilusão monetária? Mercados demasiado otimistas?

26 junho 2020

plant | wind
Monthly House View de julho de 2020 da Indosuez - download aqui

Uma forte recuperação dos mercados ocorreu desde meados de maio, com evidências de “compras de pânico” e cobertura de vendas a descoberto, além de uma rotação violenta entre ações de qualidade/estilo Growth e ações cíclicas/estilo Value.

Alguns podem questionar se esse movimento é sustentável ou exagerado, e se tem fundamento em bases sólidas, ou em esperanças irracionais.

Vamos começar com o lado positivo da história e seus três principais argumentos.

Em primeiro lugar, a reabertura das economias começou a revelar padrões de recuperação melhores do que os esperados nos EUA. O pânico do mercado em março refletiu o amplo reconhecimento de uma forte recessão no segundo trimestre. A aceleração simétrica da recuperação foi sincronizada, em maio, com a flexibilização das medidas de confinamento e, em junho, com dados de emprego e de vendas de varejo melhores do que o esperado nos EUA. A recuperação dos preços do petróleo reduziu o estresse nos países produtores e no setor de petróleo nos EUA.

Em segundo lugar, os bancos centrais continuaram a intensificar as medidas, com um aumento do programa de compra de ativos de emergência do Banco Central Europeu (BCE), e um apoio mais forte fornecido pelo Federal Reserve dos EUA ao mercado de crédito. Espera-se que isso limite o aumento da taxa de inadimplência.

Em terceiro lugar, os governos continuam a aumentar a magnitude de suas medidas fiscais - isso vale no Japão, que dobrou o tamanho de seu plano; vale nos EUA, com um plano de gastos de 1 trilhão de dólares em infraestruturas; vale na Europa, que está atualmente em negociação de um acordo sobre um Plano de Recuperação de 750 bilhões de euros, incluindo 500 bilhões de doações. Também parece valer na China, que poderia aumentar seu apoio macroeconômico.

No entanto, essa narrativa positiva não deve nos distrair dos desafios e das incertezas significativas à nossa frente. Este é o lado menos brilhante da equação.

Como estará a taxa de desemprego da Europa no espaço de um ano? O surgimento de uma segunda onda da infecção por COVID-19 na China levará a novas medidas de confinamento mais amplas? Os mercados ainda estão muito otimistas quanto à recuperação dos resultados e subestimando as taxas de inadimplência?

O que é certo: a recente recuperação dos mercados de ações também reflete efeitos mecânicos do ativismo monetário e do retorno da taxa básica de juros dos fundos do Fed ao território da política de taxa de juro zero (ZIRP). Taxas de juros mais baixas garantem valores presentes elevados para ganhos futuros, e taxas de juros mais baixas significam que os preços das ações subirão se os investidores valorizarem as empresas com base em um prêmio de risco estável frente a taxas de juros de longo prazo. De certa forma, essa evidência matemática pode ser vista como uma forma de ilusão monetária ou como um artefato atuarial, o que não reflete os desafios em torno da perspectiva de retornos sobre ações e títulos corporativos. Se os dividendos e as recompras de ações forem questionados, e se as taxas de inadimplência corporativa estiverem em alta, os investidores irão certamente pedir prêmios de risco mais altos. À medida que as ações continuam a subir e os spreads a cair, a margem de erro diminui.

Esse pode ser um dos temas do mercado na temporada de resultados do segundo trimestre, já que a subida contínua dos mercados e a rotação para ações Value provavelmente precisarão de confirmações microeconômicas neste estágio.

Important information

Monthly House View de 17.06.2020 da Indosuez, excerto do Editorial

26 junho 2020

Para ler também

compass

Rumo a uma mudança de regime? O que esperar após a pandemia?

plant | wind

As maiores economias tentam relaxar as medidas de lockdown

plant | wind

COVID-19: Impacto nos balanços fiscais e na dívida pública na próxima década